Não queremos a normalidade de volta, queremos é rebelião e resistência

Mobilização Contra Despejos frente à CMLisboa
Janeiro 29, 2022
Mostrar tudo

Gostávamos que participassem nesta ocupação do espaço público e partilhassem as vossas ideias e propostas no microfone aberto, para pôr em marcha um Plano de Rebelião e Resistência colectivo.

Data: sábado, 26.03.2022
Hora: 15h00
Local: Praça do Martim Moniz

Organizadores: Stop Despejos e Habita!

Queremos uma CIDADE e LUGARES para as pessoas e não para o LUCRO!

A normalidade capitalista em que nos habituámos a viver alimenta-se de crises, de emergências e da exploração dos mais fracos. Tornámo-nos reféns de uma rotina diária pautada por ondas incontroláveis de pandemia, e no medo do contágio fomos perdendo afectos e revoltas. Tornámo-nos simultaneamente espectadores passivos de sucessivas guerras contra os pobres, pilhagem de cidades e devastação de territórios, sem a perspectiva de uma resolução para os conflitos ou para as crises económicas.

A questão da (crise da) habitação é central neste sistema de exploração: despejos, desocupações, execuções hipotecárias, aumentos de renda e casas fechadas em favor da especulação, resultam de décadas de políticas governamentais que visam manter subjugadas as pessoas que trabalham, as pessoas que menos têm e as mais desfavorecidas, continuando a perpetuar um sistema baseado em desigualdades sociais. Mas a luta pela habitação é também central para a libertação daqueles que são explorados e subjugados pelo capital. Parece óbvio, mas vale a pena dizê-lo em voz alta: uma casa digna é vital para uma saúde boa, a estabilidade habitacional é fundamental para uma melhor educação, uma casa é indispensável para a (re)produção da vida. Por outro lado, uma casa isolada no meio de um deserto é uma casa triste, uma casa onde nos barricamos sem contacto com os outros é uma prisão. É por isso que é essencial que as casas não sejam desligadas dos sítios onde são projectadas e construídas, dos bairros, das cidades e dos territórios, e que estes sejam concebidos, imaginados e vividos, para que a vida possa desenrolar-se de acordo com as nossas necessidades, vontades e desejos.

Sabemos que no nosso território, que é a área metropolitana de Lisboa, há muitos exemplos de quem luta por uma cidade diferente da “normal” – feita de lucro e isolamento – há uma cidade ecologista, anti-racista, feminista, inclusiva de todas as minorias, igualitária em todos os seus aspectos. Queremos continuar a construir juntas esta cidade “anormal”, esta cidade impertinente e solidária, por isso apelamos aos colectivos, associações e experiências de luta de base que animam o nosso território para uma assembleia pública de movimento. Queremos ser parte da mudança social e, começar em conjunto, a delinear um Plano de Rebelião e Resistência, que desarme a guerra contra os pobres que os ricos e os governos que os representam têm vindo a instigar há demasiado tempo.

Este encontro faz parte do Housing Action Day 2022, dia internacional de luta pelo direito à habitação, lançado pela European Action Coalition for the Right to Housing and to the City.